Home Notícias Estações meteorológicas monitoram o clima no Oeste
Estações meteorológicas monitoram o clima no Oeste PDF Imprimir E-mail
Ter, 18 de Abril de 2017 13:35


altUm grupo de professores e alunos do curso Técnico em Meteorologia do Câmpus Florianópolis estão no Oeste catarinense nesta semana. Eles passaram pelo Câmpus Chapecó nesta segunda-feira (17) e estarão no Câmpus Xanxerê do IFSC nesta terça-feira (18) para instalar estações meteorológicas.


A instalação faz parte do projeto “Monitoramento de Tempestades Severas no Oeste catarinense”, que irá monitorar o clima em Chapecó e Xanxerê. “Escolhemos esta região e estas cidades pela ocorrência de eventos extremos. Agora precisamos dos dados para entender esses fenômenos. Então o equipamento irá coletar informações como a temperatura, a umidade, a velocidade do vento e a quantidade de chuva para depois analisarmos cada um deles”, explica o coordenador do projeto, professor Mario Francisco Leal De Quadro.

O projeto iniciou em agosto de 2016 com a construção e os testes do protótipo que está sendo instalado nesta semana, além do desenvolvimento de sensores, do hardware e do software, ou seja, o micro-computador que faz a coleta dos dados.

No início desta semana, o grupo passa pela segunda fase, de instalação e testes in loco do protótipo. O equipamento deve ficar nos câmpus do IFSC de Chapecó e Xanxerê por pelo menos 30 dias.

alt“A terceira fase do projeto ocorre quando desinstalarmos as estações e iniciarmos a análise dos dados e geração dos resultados. Temos que terminar toda a análise até julho deste ano”, afirma o professor.

Além dos dados para análise, o grupo também testa a qualidade da estrutura e das informações coletadas pelo protótipo construído por eles. Junto ao equipamento também está sendo instalada uma estação profissional, que servirá como base para as análises e validação do protótipo.

“A estação de baixo custo custou pouco mais de R$ 1 mil e a estação profissional custa muito mais. Então nossa intenção também é testar a opção de baixo custo e conseguir baratear esta tecnologia, para que no futuro ela seja instalada em vários pontos do Estado para monitorar o clima”, afirma De Quadro.

altAlém do professor, os dois alunos bolsistas Paulo Fernando Lameira dos Santos e Mônica Letícia de Melo também acompanham a instalação no Oeste catarinense. Outros professores e alunos do curso Técnico em Meteorologia e do Mestrado Profissional em Clima e Ambiente também auxiliam e utilizam os dados para outros projetos desenvolvidos no IFSC.

Por Rafaela Menin / Jornalista IFSC

 

 

DESTAQUES

 

NAPNE

 

SNCT 2017

 

discussao RI

 

horario aulas docentes2

 

icone docentes horarios atividades

 

edital estagio intext

 

observatorio egressos

 

 

 

 

Nós temos 800 visitantes online
Para visualizar PDF você precisa do Adobe Reader: Clique aqui para baixar.